15 de nov de 2015

Um Apólogo Machado de Assis

Descrição: CABEÇALHOHORIZONTAL
Um Apólogo
Machado de Assis
Era uma vez uma agulha, que disse a um novelo de linha:
— Por que está você com esse ar, toda cheia de si, toda enrolada, para fingir que vale alguma cousa neste mundo?
— Deixe-me, senhora.
— Que a deixe? Que a deixe, por quê? Porque lhe digo que está com um ar insuportável? Repito que sim, e falarei sempre que me der na cabeça.
— Que cabeça, senhora?  A senhora não é alfinete, é agulha.  Agulha não tem cabeça. Que lhe importa o meu ar? Cada qual tem o ar que Deus lhe deu. Importe-se com a sua vida e deixe a dos outros.
— Mas você é orgulhosa.
— Decerto que sou.
— Mas por quê?
— É boa!  Porque coso.  Então os vestidos e enfeites de nossa ama, quem é que os cose, senão eu?
— Você?  Esta agora é melhor. Você é que os cose? Você ignora que quem os cose sou eu e muito eu?
— Você fura o pano, nada mais; eu é que coso, prendo um pedaço ao outro, dou feição aos babados...
— Sim, mas que vale isso? Eu é que furo o pano, vou adiante, puxando por você, que vem atrás obedecendo ao que eu faço e mando...
— Também os batedores vão adiante do imperador.
— Você é imperador?
— Não digo isso. Mas a verdade é que você faz um papel subalterno, indo adiante; vai só mostrando o caminho, vai fazendo o trabalho obscuro e ínfimo. Eu é que prendo, ligo, ajunto...
Estavam nisto, quando a costureira chegou à casa da baronesa. Não sei se disse que isto se passava em casa de uma baronesa, que tinha a modista ao pé de si, para não andar atrás dela. Chegou a costureira, pegou do pano, pegou da agulha, pegou da linha, enfiou a linha na agulha, e entrou a coser.  Uma e outra iam andando orgulhosas, pelo pano adiante, que era a melhor das sedas, entre os dedos da costureira, ágeis como os galgos de Diana — para dar a isto uma cor poética. E dizia a agulha:
— Então, senhora linha, ainda teima no que dizia há pouco?  Não repara que esta distinta costureira só se importa comigo; eu é que vou aqui entre os dedos dela, unidinha a eles, furando abaixo e acima...
A linha não respondia; ia andando. Buraco aberto pela agulha era logo enchido por ela, silenciosa e ativa, como quem sabe o que faz, e não está para ouvir palavras loucas. A agulha, vendo que ela não lhe dava resposta, calou-se também, e foi andando. E era tudo silêncio na saleta de costura; não se ouvia mais que o plic-plic-plic-plic da agulha no pano. Caindo o sol, a costureira dobrou a costura, para o dia seguinte. Continuou ainda nessa e no outro, até que no quarto acabou a obra, e ficou esperando o baile.
Veio a noite do baile, e a baronesa vestiu-se. A costureira, que a ajudou a vestir-se, levava a agulha espetada no corpinho, para dar algum ponto necessário. E enquanto compunha o vestido da bela dama, e puxava de um lado ou outro, arregaçava daqui ou dali, alisando, abotoando, acolchetando, a linha para mofar da agulha, perguntou-lhe:
— Ora, agora, diga-me, quem é que vai ao baile, no corpo da baronesa, fazendo parte do vestido e da elegância? Quem é que vai dançar com ministros e diplomatas, enquanto você volta para a caixinha da costureira, antes de ir para o balaio das mucamas?  Vamos, diga lá.
Parece que a agulha não disse nada; mas um alfinete, de cabeça grande e não menor experiência, murmurou à pobre agulha:
— Anda, aprende, tola. Cansas-te em abrir caminho para ela e ela é que vai gozar da vida, enquanto aí ficas na caixinha de costura. Faze como eu, que não abro caminho para ninguém. Onde me espetam, fico.
Contei esta história a um professor de melancolia, que me disse, abanando a cabeça:
— Também eu tenho servido de agulha a muita linha ordinária!
Texto extraído do livro "Para Gostar de Ler - Volume 9 - Contos", Editora Ática - São Paulo, 1984, pág. 59.
Nome: Machado de Assis - Nascimento: 21/06/1839 - Natural: Rio de Janeiro – RJ - Morte: 29/09/1908
Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis, cronista, contista, dramaturgo, jornalista, poeta, novelista, romancista, crítico e ensaísta, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839. Filho de um operário mestiço de negro e português, Francisco José de Assis, e de D. Maria Leopoldina Machado de Assis, aquele que viria a tornar-se o maior escritor do país e um mestre da língua, perde a mãe muito cedo e é criado pela madrasta, Maria Inês, também mulata, que se dedica ao menino e o matricula na escola pública, única que frequentará o autodidata Machado de Assis.

Escola: IACS Semana:(36.ª) 16 a 20/11 Professor: Elemar Gomes

 - Instituto Adventista Cruzeiro do Sul
Endereço: Av. Sebastião Amoretti, 2130-a - Cruzeiro do Sul, Taquara - RS, 95600-000 - Telefone:(51) 3541-6800
Planos de aula - 2015
Escola: IACS
Semana:(36.ª)
16 a 20/11
Professor: Elemar Gomes

ANO: SEXTO - CONTEÚDOS
Turma: 61
Disciplina: PORTUGUÊS
  Ø   (  )TIPOS DE DISCURSOS: CONCEITOS, EXEMPLOS E EXERCÍCIOS – P.241 E 242;
  Ø   (  )DESCRIÇÃO DE UMA PESSOA – P.243;
  Ø   (  )TEMPOS VERBAIS –NA ORALIDADE – P. 243 -246;
  Ø   (  )LER: “CENTÍMETROS A MAIS” P. 247 E 248 (1-6) – 249  (1-5);
  Ø   (  )20/11/2015 - PROVA 2 – INDIVIDUAL;
  Ø   (  )PROVA DE RECUPERAÇÃO: 27/11/2015;
  Ø   (  ) TRABALHO A PARTIR DO LIVRO PARADIDÁTICO: “GUANGUE DOS LIVROS” –DIA 17/11/2015 – PESO: 1,0 PONTOS.
6
PERÍODOS
OBJETIVOS: - Tarefa de casa: Escrever uma pequena história ou poema usando onomatopeias.
- Participação nas atividades escritas e orais.
- Produção textual: poema ilustrado.
* Os alunos serão avaliados nas atividades de:
•Leitura silenciosa e oral.
•Debate e discussão sobre o tema proposto.
•Participação oral.
•Realização das atividades propostas no livro.
•Realização dos exercícios de fixação.
•Participação oral na correção das atividades.
Produção textual individual.

ANO: SÉTIMO - CONTEÚDOS
Turmas:
71, 72 e 73
Disciplina: PORTUGUÊS
  Ø   (  )PRODUÇÃO DE UM CARTAZ: PAQUA LOKO
§  SERVIÇOS; ATRAÇÕES; TEMPO; DIA; VIAGEM DE IDA E VOLTA; ...
  Ø   (  )LER: “CHEGA DE REMÉDIO AMARGO” – P. 253 E 254 – EXERCÍCIOS: 1-6;
  Ø   (  )20/11/2015 - PROVA 2 – INDIVIDUAL
  Ø    (  ) TRABALHO A PARTIR DO LIVRO PARADIDÁTICO: “ UM SIMPLES LANCHE” –DIA 17/11/2015 – PESO: 1,0 PONTOS.
6
PERÍODOS
AOS ALUNOS SERÁ ANALISADO: Serão avaliados conforme a estrega das pesquisas, leituras  e produção de textos solicitados.
- Avaliar a produção do desenho, do texto e da apresentação em classe.

ANO: OITAVO - CONTEÚDOS
Turma: 83
Disciplina: PORTUGUÊS

  Ø   ( )LER: “OS CONGAS” – P. 236 – 1-7;
  Ø   ( )LER: UM APÓLOGO: MACHADO DE ASSIS;
  Ø   ( )FIGURAS DE LINGUAGEM – P. 238 E 244;
  Ø   ( )DE GUTEMBERG A BILL GATES – P.253.
  Ø   (  )20/11/2015 - PROVA 2 – INDIVIDUAL
  Ø    (  ) TRABALHO A PARTIR DO LIVRO PARADIDÁTICO: “PROJETO SUNLIGHT” –DIA 17/11/2015 – PESO: 1,0 PONTOS.-

OBJETIVOS: * Os alunos serão avaliados nas atividades de:
Leitura silenciosa e oral.
Debate e discussão sobre o tema proposto.
Participação oral.
Realização das atividades propostas no livro.
Realização dos exercícios de fixação.

OBS.: A PROVA 1 SERÁ EM DUPLA


Eclesiastes 1:13

E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.