6 de set de 2015

ESPECIAL PARA A TURMA 61


POEMA: O PARDALZINHO - POETA: MANUEL BANDEIRA

O pardalzinho nasceu Livre.
Quebraram-lhe a asa.
Sacha lhe deu uma casa,
Água, comida e carinhos.
Foram cuidados em vão:
A casa era uma prisão,
O pardalzinho morreu.
O corpo Sacha enterrou No jardim;

a alma, essa voou Para o céu dos passarinhos!

POEMA:  O BICHO  POETA: MANUEL BANDEIRA
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus,
Era um homem.

Eclesiastes 1:13

E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.