4 de mai de 2015

IACS - TURMAS DO 7.º ANO

PROJETO: LEITURA DE POESIA
BIOGRAFIA
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.




JOSÉ

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, Você?
Você que é sem nome,
que zomba dos outros,
Você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio, - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse,
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja do galope,
você marcha, José!
José, para onde?

Carlos Drummond de Andrade




PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)

PROJETO: LEITURA DE POESIA
BIOGRAFIA
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.


NO MEIO DO CAMINHO

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra

PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)



 

PROJETO: LEITURA DE POESIA
BIOGRAFIA
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.



AS SEM-RAZÕES DO AMOR

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.



PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)




PROJETO: LEITURA DE POESIA
BIOGRAFIA
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.



POEMA DAS SETE FACES

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás das mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode.

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.



PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)

PROJETO: LEITURA DE POESIA
BIOGRAFIA
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.

MÃOS DADAS

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos,
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente.
PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)






PROJETO: LEITURA DE POESIA
BIOGRAFIA
Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.

CIDADEZINHA QUALQUER
Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.
Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar... as janelas olham.
Eta vida besta, meu Deus.

QUADRILHA
João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.
PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)

Biografia
VINÍCIUS DE MORAES
Poeta, compositor, intérprete e diplomata brasileiro, nasceu no Rio em 19/10/13 e faleceu na mesma cidade em 09/07/80. Escreveu seu primeiro poema aos sete anos. Fez curso de Direito no Rio e de Literatura Inglesa em Oxford. Ingressou na carreira diplomática, por concurso, em 1943, tendo servido como vice-cônsul em Los Angeles (1947-50), o que abriu sua temática, posteriormente enriquecida pelo seu interesse em teatro e cinema. Serviu também em Paris (duas vezes) e Montevidéu.




Soneto do amor total

Amo-te tanto meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te enfim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude












Biografia
VINÍCIUS DE MORAES
Poeta, compositor, intérprete e diplomata brasileiro, nasceu no Rio em 19/10/13 e faleceu na mesma cidade em 09/07/80. Escreveu seu primeiro poema aos sete anos. Fez curso de Direito no Rio e de Literatura Inglesa em Oxford. Ingressou na carreira diplomática, por concurso, em 1943, tendo servido como vice-cônsul em Los Angeles (1947-50), o que abriu sua temática, posteriormente enriquecida pelo seu interesse em teatro e cinema. Serviu também em Paris (duas vezes) e Montevidéu.


Procura-se um amigo

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.
Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.
Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.

VINÍCIUS DE MORAES



PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)
Biografia
VINÍCIUS DE MORAES
Poeta, compositor, intérprete e diplomata brasileiro, nasceu no Rio em 19/10/13 e faleceu na mesma cidade em 09/07/80. Escreveu seu primeiro poema aos sete anos. Fez curso de Direito no Rio e de Literatura Inglesa em Oxford. Ingressou na carreira diplomática, por concurso, em 1943, tendo servido como vice-cônsul em Los Angeles (1947-50), o que abriu sua temática, posteriormente enriquecida pelo seu interesse em teatro e cinema. Serviu também em Paris (duas vezes) e Montevidéu.




De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento. 

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa dizer do meu amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)



Biografia
VINÍCIUS DE MORAES
Poeta, compositor, intérprete e diplomata brasileiro, nasceu no Rio em 19/10/13 e faleceu na mesma cidade em 09/07/80. Escreveu seu primeiro poema aos sete anos. Fez curso de Direito no Rio e de Literatura Inglesa em Oxford. Ingressou na carreira diplomática, por concurso, em 1943, tendo servido como vice-cônsul em Los Angeles (1947-50), o que abriu sua temática, posteriormente enriquecida pelo seu interesse em teatro e cinema. Serviu também em Paris (duas vezes) e Montevidéu.



A rosa de Hiroxima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroxima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada.

PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)

Biografia
VINÍCIUS DE MORAES
Poeta, compositor, intérprete e diplomata brasileiro, nasceu no Rio em 19/10/13 e faleceu na mesma cidade em 09/07/80. Escreveu seu primeiro poema aos sete anos. Fez curso de Direito no Rio e de Literatura Inglesa em Oxford. Ingressou na carreira diplomática, por concurso, em 1943, tendo servido como vice-cônsul em Los Angeles (1947-50), o que abriu sua temática, posteriormente enriquecida pelo seu interesse em teatro e cinema. Serviu também em Paris (duas vezes) e Montevidéu.


Soneto da separação

De repente do riso fez-se o pranto 
Silencioso e branco como a bruma 
E das bocas unidas fez-se a espuma 
E das mãos espalmadas fez-se o espanto. 
De repente da calma fez-se o vento 
Que dos olhos desfez a última chama 
E da paixão fez-se o pressentimento 
E do momento imóvel fez-se o drama. 


De repente, não mais que de repente 
Fez-se de triste o que se fez amante 
E de sozinho o que se fez contente. 


Fez-se do amigo próximo o distante 
Fez-se da vida uma aventura errante 
De repente, não mais que de repente.

PROJETO: LEITURA DE POESIA
TAREFA: EM QUARTETOS, PROCURE UMA MANEIRA DIFERENTE DE APRESENTAR PARA ATURMA O POETA E O POEMA SELECIONADO PELO PROFESSOR.
IMPORTANTE: QUANTO MAIS CRIATIVO, MAIS VALORIZADO SERÃO PELA NOTA. PESO: 3,0
PROFESSOR: ELEMAR GOMES

TODO O MATERIAL ESTÁ  NO BLOG:
AULAS DA MINHA VIDA
(www.aulasdaminhavida.com.br)

Eclesiastes 1:13

E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.