22 de set de 2014

LEITURA DO III.º TRIMESTRE -

LIVRO: "OS MISERÁVEIS" - CLIQUE NA IMAGEM E BAIXE PARA O SEU COMPUTADOR 
 CLIQUE NO LINK E BAIXE PARA O SEU COMPUTADOR.

O QUE SÃO AS FIGURAS DE LINGUAGEM?


São recursos que tornam mais expressivas as mensagens. Subdividem-se em figuras de som, figuras de construção, figuras de pensamento e figuras de palavras. 
Figuras de som 
a) aliteração: consiste na repetição ordenada de mesmos sons consonantais. 
“Esperando, parada, pregada na pedra do porto.” 

b) assonância: consiste na repetição ordenada de sons vocálicos idênticos. 
“Sou um mulato nato no sentido lato 
mulato democrático do litoral.” 

c) paronomásia: consiste na aproximação de palavras de sons parecidos, mas de significados distintos. 
“Eu que passo, penso e peço.” 

Figuras de construção 

a) elipse: consiste na omissão de um termo facilmente identificável pelo contexto. 
“Na sala, apenas quatro ou cinco convidados.” (omissão de havia) 

b) zeugma: consiste na elipse de um termo que já apareceu antes. 
Ele prefere cinema; eu, teatro. (omissão de prefiro) 

c) polissíndeto: consiste na repetição de conectivos ligando termos da oração ou elementos do período. 
“ E sob as ondas ritmadas 
e sob as nuvens e os ventos 
e sob as pontes e sob o sarcasmo 
e sob a gosma e sob o vômito (...)” 

d) inversão: consiste na mudança da ordem natural dos termos na frase. 
“De tudo ficou um pouco. 
Do meu medo. Do teu asco.” 

e) silepse: consiste na concordância não com o que vem expresso, mas com o que se subentende, com o que está implícito. A silepse pode ser: 
• De gênero 
Vossa Excelência está preocupado. 
• De número 
Os lusíadas glorificou nossa literatura. 
• De pessoa 
“O que me parece inexplicável é que os brasileiros persistamos em comer essa coisinha verde e mole que se derrete na boca.” 

f) anacoluto: consiste em deixar um termo solto na frase. Normalmente, isso ocorre porque se inicia uma determinada construção sintática e depois se opta por outra. 
A vida, não sei realmente se ela vale alguma coisa. 

g) pleonasmo: consiste numa redundância cuja finalidade é reforçar a mensagem. 
“E rir meu riso e derramar meu pranto.” 

h) anáfora: consiste na repetição de uma mesma palavra no início de versos ou frases. 
“ Amor é um fogo que arde sem se ver; 
É ferida que dói e não se sente; 
É um contentamento descontente; 
É dor que desatina sem doer” 

Figuras de pensamento 
a) antítese: consiste na aproximação de termos contrários, de palavras que se opõem pelo sentido. 
“Os jardins têm vida e morte.” 

b) ironia: é a figura que apresenta um termo em sentido oposto ao usual, obtendo-se, com isso, efeito crítico ou humorístico. 
“A excelente Dona Inácia era mestra na arte de judiar de crianças.” 

c) eufemismo: consiste em substituir uma expressão por outra menos brusca; em síntese, procura-se suavizar alguma afirmação desagradável. 
Ele enriqueceu por meios ilícitos. (em vez de ele roubou) 

d) hipérbole: trata-se de exagerar uma idéia com finalidade enfática. 
Estou morrendo de sede. (em vez de estou com muita sede) 

e) prosopopéia ou personificação: consiste em atribuir a seres inanimados predicativos que são próprios de seres animados. 
O jardim olhava as crianças sem dizer nada. 


f) gradação ou clímax: é a apresentação de 
idéias em progressão ascendente (clímax) ou descendente (anticlímax) 
“Um coração chagado de desejos 
Latejando, batendo, restrugindo.” 

g) apóstrofe: consiste na interpelação enfática a alguém (ou alguma coisa personificada). 
“Senhor Deus dos desgraçados! 
Dizei-me vós, Senhor Deus!” 

Figuras de palavras 
a) metáfora: consiste em empregar um termo com significado diferente do habitual, com base numa relação de similaridade entre o sentido próprio e o sentido figurado. A metáfora implica, pois, uma comparação em que o conectivo comparativo fica subentendido. 
“Meu pensamento é um rio subterrâneo.” 
b) metonímia: como a metáfora, consiste numa transposição de significado, ou seja, uma palavra que usualmente significa uma coisa passa a ser usada com outro significado. Todavia, a transposição de significados não é mais feita com base em traços de semelhança, como na metáfora. A metonímia explora sempre alguma relação lógica entre os termos. Observe: 
Não tinha teto em que se abrigasse. (teto em lugar de casa) 

c) catacrese: ocorre quando, por falta de um termo específico para designar um conceito, torna-se outro por empréstimo. Entretanto, devido ao uso contínuo, não mais se percebe que ele está sendo empregado em sentido figurado. 
O pé da mesa estava quebrado. 

d) antonomásia ou perífrase: consiste em substituir um nome por uma expressão que o identifique com facilidade: 
...os quatro rapazes de Liverpool (em vez de os Beatles) 

e) sinestesia: trata-se de mesclar, numa expressão, sensações percebidas por diferentes órgãos do sentido. 
A luz crua da madrugada invadia meu quarto. 

Vícios de linguagem 
A gramática é um conjunto de regras que estabelecem um determinado uso da língua, denominado norma culta ou língua padrão. Acontece que as normas estabelecidas pela gramática normativa nem sempre são obedecidas pelo falante. 
Quando o falante se desvia do padrão para alcançar uma maior expressividade, ocorrem as figuras de linguagem. Quando o desvio se dá pelo não-conhecimento da norma culta, temos os chamados vícios de linguagem. 

a) barbarismo: consiste em grafar ou pronunciar uma palavra em desacordo com a norma culta. 
pesquiza (em vez de pesquisa) 
prototipo (em vez de protótipo) 

b) solecismo: consiste em desviar-se da norma culta na construção sintática. 
Fazem dois meses que ele não aparece. (em vez de faz ; desvio na sintaxe de concordância) 

c) ambigüidade ou anfibologia: trata-se de construir a frase de um modo tal que ela apresente mais de um sentido. 
O guarda deteve o suspeito em sua casa. (na casa de quem: do guarda ou do suspeito?) 

d) cacófato: consiste no mau som produzido pela junção de palavras. 
Paguei cinco mil reais por cada. 

e) pleonasmo: consiste na repetição desnecessária de uma idéia. 
A brisa matinal da manhã deixava-o satisfeito. 

f) neologismo: é a criação desnecessária de palavras. 
Segundo Mário Prata, se 
adolescente é aquele que está entre a infância e a idade adulta, envelhescente é aquele que está entre a idade adulta e a velhice. 

g) arcaísmo: consiste na utilização de palavras que já caíram em desuso. 
Vossa Mercê me permite falar? (em vez de você) 

h) eco: trata-se da repetição de palavras terminadas pelo mesmo som. 
O menino repetente mente alegremente.

i) hipálageÉ uma figura de linguagem que se caracteriza pelo desajustamento entre a função gramatical e a função lógica das palavras, quanto à semântica, de forma a criar uma transposição de sentidos. Uma das formas mais frequentes consiste na atribuição, a umsubstantivo, de uma qualidade (adjectivo) que, em termos lógicos, pertence a outro.
j)hipérbato:(do grego hyperbaton, que ultrapassa) também conhecido como inversão, é uma figura de linguagem que consiste na troca da ordem direta dos termos da oração (sujeito, verbo, complementos, adjuntos) ou de nomes e seus determinantes.
Exemplos:
A)    "Aquela triste e leda madrugada" (Luís Vaz de Camões)
B)    "Não a Ti, Cristo, odeio ou te não quero." (Fernando Pessoa)
C)    "Do que a terra mais garrida / Teus risonhos, lindos campos têm mais flores" (Osório Duque Estrada, em Hino Nacional Brasileiro)
D)    "Não é que o meu o teu sangue / Sangue de maior primor." (Alexandre Herculano)
E)    Dança, à noite, o casal de apaixonados no clube.
F)    Aves, desisti de as ter!
G)    Das minhas coisas cuido eu!
 
l)assíndeto: é uma figura de estilo que consiste na omissão das conjunções ou conectivos (em geral, conjunções copulativas), resultando no uso de orações justapostas ou orações coordenadas assindéticas, separadas por vírgulas.
A)    "Soltei a pena, Moisés dobrou o jornal, Pimentel roeu as unhas" (Graciliano Ramos)
B)    Peguei o exercício, levei-o para casa, li, reli, voltei à escola, briguei com a professora, fui à direção, reclamei a falta de conectivo.

Por Marina Cabral 
Especialista em Língua Portuguesa e Literatura 





Exercícios de Figuras de Linguagem

  1. Explique a relação de semelhança sobre a qual se construíram as metáforas:
  2. Os catadores de papel são triste paisagem.
  3. Teu sorriso é  uma aurora.
  4. O hipopótamo é um bruto sapatão afogado.
  5. Esse vendedor de carros é uma raposa.
  6. Seu mau-humor é chuva de verã0.
  7. Meu novo apartamento é uma caixa de fósforos.
  8. Nosso relacionamento é um mar de rosas.

  1. Identifique as figuras usadas nas frases abaixo:
  2. O bonde passa cheio de pernas.
  3. O gato é preguiçoso como uma segunda-feira.
  4. Não fique pensando que o povo é nada.
  5. Uma coisa triste no fundo da sala./ me disseram que era Chopin.
  6. Coitado do Durval: não foi feliz na prova.
  7. Gastei  rios de dinheiro no meu curso de computação.
  8. Os carros não andam, voam.
  9. O vento beija meus cabelos,      as ondas lambem minhas pernas,      o sol abraça o meu corpo,       o meu destino é ser star.
  10. 0O noivo da minha irmã pediu a mão dela em casamento.
  11. As pessoas vão e vêm, entram e saem.
  12. Quando a indesejada das gentes chegar, encontrará o campo livre.
  13. A mim, não me convidaram para o torneio de vôlei.
  14. Há males que vêm para o bem.
  15. Há males que faz tempo estão grisalhos.
  16. O rapaz saltou da ponte da vida.
  17. Essas vãs promessas, já as conheço de sobra.
  18. Meu verso é sangue ... Volúpia ardente.
  19. Estou esperando você há séculos!
  20. As pessoas aqueciam-se ao pé das grandes fogueiras.
  21. A vida é um incêndio.
  22. A mão toca o violão/ se for preciso vai à guerra.
  23. Cantava muito Chico Buarque.
  24. O rei do futebol esteve presente na homenagem.
  25. Era uma pessoa que não raramente faltava com a verdade.
  26. Pra se viver, há de se sentir a morte.
  27. Meus olhos desmaiaram de emoção ao vê-la.

Leia este trecho do poema outro noturno, de Murilo Mendes.
                   A Baía de Guanabara, diferente das outras baías, é camarada,
                   recebe na sala de visitas todos os navios do mundo
                   e não fecha a cara.
                   tudo perde o equilíbrio desta noite.
                   as estrelas não são mais constelações célebres,
                   são lamparinas com ares domingueiros.
  1. Para se referir às águas da baía, qual a metáfora empregada pelo poeta?
  2.  indique em que versos ocorrem as seguintes figuras:
       personificação-                                                      metáfora -

Crie eufemismo para os seguintes casos:
  1. Como diria o torcedor de um time muito ruim -
  2. Como diria o pai de um aluno que corre o risco de ser reprovado -
  3. Como diria o pai de um aluno burro -
  4. Paulo, seu trabalho de português está horrível! -
  5. Ele é um ignorante -    
  6. Você é um mentiroso!
  7. Eles são grosseiros -

Reconheça as figuras nas frases abaixo:

  1. O cóim-cóim dos porcos parecia uma orquestra desafinada.
  2. Meus pobres sonhos que sonhei, já tão sonhados.
  3. Minhas mãos estão molhadas do azul das ondas entreabertas.
  4. A cidade maravilhosa ostenta beleza e muita miséria.
  5. No fim do túnel, o princípio de tudo.
  6. O plim-plim da televisão dominava a todos.
  7. Nesses lábios ri  risadas de expressão violenta.
  8. Os teus olhos são negros e macios.
  9. Na imensa descida a catarata se suicida.
  10. As velas do barco vão sair para pescar.
  11. Choramos um choro sentido.
  12. O miado desapareceu quando as crianças puseram a gravação do au-au.
  13. Não sabem governar sua cozinha e querem governar o mundo.
  14. Tremem de medo os lampiões sombrios.
  15. Meus olhos desmaiaram de emoção quando ouvi a sua voz.
  16. Ele devolveu o excesso de comida que engoliu sem mastigar.
  17. Entra pela janela a preguiçosa brisa.
  18. Quando o pé-de-vento chegou, as crianças já estavam na escola.
  19. Ninguém pode negar que as mãos dos trombadinhas eram ágeis.
  20. O olhar duro e doce da mãe interrompeu a discussão.
  21. O rei do baião é famoso internacionalmente.
  22. No velório, as palavras davam a dimensão do sofrimento.
  23. O sorriso navega no pranto estrelado dos teus olhos.
  24. A deusa da beleza representa a perfeição.
  25. Pois vejo a minha vida anoitecer.
  26. Que careta mais bonita!
  27. Ele possuía um mar de sonhos e aspirações.
  28. Aqueles homens públicos apropriaram-se do dinheiro.
  29. Tristeza não tem fim, felicidade sim...
  30. Tinhas a alma de sonhos povoada.
  31. Ouvi mozart com emoção.
  32. As indústrias despejam a morte nos rios.
  33. Tinha as maçãs do rosto sempre vermelhas.
  34. O médico comunicou à família que ela estava com uma doença ruim.
  35. Os galhos namoravam os frutos maduros que sustentavam.
  36. Morro de medo dos fogos de artifício.
  37. Portadores do mal-de-lázaro são discriminados na sociedade.
  38. O amor pulou o muro e subiu na árvore.
  39. Foi inaugurada uma escola para deficientes visuais.
  40. Ela é linda: espanta até os postes.
  41. Se eu pudesse contar as lágrimas, daria mais que as vertidas desde Adão e Eva.
  42. Bebo silenciosamente a essas imagens da morte e da vida.
  43. Ele viveu uma vida solitária e difícil.
  44. Essas dificuldades, nós as temos.
  45. Chovia uma triste chuva de resignação.
  46. A pobreza do eu, a opulência do mundo.
  47. Rios de pranto e de sangue derramei.
  48. Moça linda, bem tratada/ três séculos de família/ burra como uma porta: um amor!
  49. Repousa lá no céu eternamente.
  50. As árvores pedem socorro.
  51. Alcance-me um dente de alho e uma cabeça  de cebola.
  52. O estádio aplaudiu o jogador.
  53. À noite, as ruas são desertos.
  54. Leia a orelha do livro e terás o assunto dele.
  55. A locomotiva  bufava e suava.
  56. Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis.
  57. Nosso time está indo muito bem .....   Estamos em último lugar.
  58. Dançaram tanta dança, que a vizinhança despertou.
  59. Em cima do meu telhado/ pirulin lulin lulin/ um anjo todo molhado/ soluça seu flautim 

GABARITO
.Explique a relação de semelhança sobre a qual se construíram as metáforas
:Os catadores de papel são triste paisagem
.Profissão sem prestígo

Teu sorriso é  uma aurora
.Alegre, lindo

O hipopótamo é um bruto sapatão afogado
.Cinza e grande

Esse vendedor de carros é uma raposa
.Esperto

Seu mau-humor é chuva de verão
.Passageiro

Meu novo apartamento é uma caixa de fósforos
.Pequeno
Nosso relacionamento é um mar de rosas
.Ótimo

NOTA: Há outras respostas aceitáveis

Identifique as figuras usadas nas frases abaixo:
                1) metonímia
  1. 2) comparação
    3) metonímia
    4) metonímia
    5) eufemismo
    6) hipérbole
    7) personificação e hipérbole
    8) personificação
    9) metonímia
    10)antítese
    11) eufemismo
    12) pleonasmo
    13) antítese
    14) personificação
    15) eufemismo
    16) pleonasmo
    17) metáfora
    18) hipérbole
    19) catacrese
    20) metáfora
    21) metonímia
    22) metonímia
    23) perífrase
    24) eufemismo
    25) antítese
  2. 26) eufemismo
  3.       27) personificação

  4. Leia este trecho do poema outro noturno, de Murilo Mendes.
    Para se referir às águas da baía, qual a metáfora empregada pelo poeta?
    Camarada
     indique em que versos ocorrem as seguintes figuras:
           personificação- 1, 2,3,6                                                     metáfora -1,6

    Crie eufemismo para os seguintes casos:
    1.    Como diria o torcedor de um time muito ruim -
    2.    Como diria o pai de um aluno que corre o risco de ser reprovado -
    3.    Como diria o pai de um aluno burro -
    4.    Paulo, seu trabalho de português está horrível! -
    5.    Ele é um ignorante -    
    6.    Você é um mentiroso!
    7.    Eles são grosseiros -
     NOTA: Respostas muito variáveis.

    Reconheça as figuras das frases abaixo:

    1.    Onomatopeia
    2.    Pleonasmo - Aliteração
    3.    – Metáfora - Personificação
    4.    Perífrase - Antítese
    5.    Antítese
    6.    Onomatopeia
    7.    Pleonasmo – Aliteração - Presonificação
    8.    Metáfora
    9.    Personificação
    10.  Metonímia - Personificação
    11.  Pleonasmo
    12.  POnomatopeia
    13.  Metonímia - Ironia
    14.  Personificação
    15.  Personificação
    16.  Eufemismo
    17.  Personificação
    18.  Catacrese
    19.  Metonímia
    20.  Antítese
    21.  Perífrase
    22.  Personificação
    23.  Antítese - Personificação
    24.  Perífrase
    25.  Eufemismo
    26.  Ironia
    27.  Hipérbole
    28.  Eufemismo
    29.  Antítese
    30.  Metáfora - Personificação
    31.  Metonímia
    32.  Personificação
    33.  Catacrese
    34.  Eufemismo
    35.  Personificação
    36.  Hipérbole
    37.  Eufemismo
    38.  Personificação
    39.  Eufemismo
    40.  Ironia
    41.  Hipérbole
    42.  Antítese
    43.  Pleonasmo - Aliteração
    44.  Pleonasmo
    45.  Pleonasmo - Personificação
    46.  Antítese
    47.  Hipérbole
    48.  Ironia
    49.  Eufemismo
    50.  Personificação
    51.  Catacrese
    52.  Menonímia - Personificação
    53.  Metáfora
    54.  Catacrese
    55.  Personificação
    56.  Ironia
    57.  Ironia
    58.  Pleonasmo - Personificação
    59.  Onomatopeia


FIGURAS DE LINGUAGEM


Exercício 1:
No enunciado: “Virgílio, traga-me uma coca cola bem gelada!”, registra-se uma figura de linguagem denominada:
A)                   anáfora
B)                   personificação
C)                   antítese
D)                  catacrese
E)                   metonímia                                                                                

Exercício 2:
Quando você  afirma que enterrou “no dedo um alfinete”, que embarcou “no trem” e que serrou “os pés da mesa”, recorre a um tipo de figura de linguagem denominada:
A)                   metonímia
B)                   antítese
C)                   paródia
D)                  alegoria (Expressão do pensamento ou da emoção)
E)                   catacrese                                                    ACESSE O CONTEÚDO NO BLOG: WWW.AULASDAMINHAVIDA.BLOGSPOT.COM

Exercício 3:
No sintagma: “Uma palavra branca e fria”, encontramos a figura denominada:
A)                   sinestesia
B)                   eufemismo
C)                   onomatopéia
D)                  antonomásia
E)                   catacrese

Exercício 4:
Nos versos: “Bomba atômica que aterra
Pomba atônita da paz
Pomba tonta, bomba atômica…”
A repetição de determinados elemento fônicos é um recurso estilístico denominado:
A)                   hiperbibasmo
B)                   sinédoque (A cidade mobilizou-se para ajudar os desabrigados, usou-se cidade [todo] em lugar de habitantes)
C)                   metonímia
D)                  aliteração
E)                   metáfora

Exercício 5:
Leia os versos e depois assinale a alternativa correta:
“Amo do nauta o doloroso grito
Em frágil prancha sobre o mar de horrores,
Porque meu seio se tornou pedra,
Porque minh’alma descorou de dores.” (Fagundes Varela)
No primeiro verso, há uma figura que se traduz por:
A)                   pleonasmo
B)                   hipérbato
C)                   gradação
D)                  anacoluto
E)                   anáfora

Exercício 6:
Leia atentamente os períodos:
Vários de nós ficamos surpresos.
Essa gente está furiosa e com medo; por consequência, capazes de tudo.
Tua mãe, não há idade nem desgraça que lhe transforme o sorriso.
Entre elas, alguém estava envergonhada.
Os períodos aça contêm, respectiva e sucessivamente, as seguintes figuras de sintaxe:
A)                   Silepse de pessoa, silepse de gênero, anacoluto, silepse de número.
B)                   Anacoluto, anacoluto, anacoluto, silepse de número.
C)                   Silepse de número, silepse de pessoa, anacoluto, anacoluto.
D)                  Silepse de pessoa, silepse de número, anacoluto, silepse de gênero.
E)                   Silepse de pessoa, anacoluto, silepse de gênero, anacoluto.


Exercício 7:
Reconheça e classifique as figuras de palavras, de construção e de pensamento:
(   ) “Quando uma lousa cai sobre um cadáver mudo”.
(   ) “Terrível hemorragia de sangue”.
(   ) “Das idades através”.
(   ) “Oxalá tenham razão”.
(   ) “Trejeita, e canta, e ri nervosamente”.
(1) Polissíndeto
(2) Hipérbato
(3) Epíteto
(4) Pleonasmo
(5) Elipse
A sequência que corresponde à resposta correta é:
A)                   4,3,5,2,1
B)                   3,4,2,1,5
C)                   3,4,2,5,1
D)                  3,4,5,2,1
E)                   1,3,2,5,4


Exercício 8:
Identifique os recursos estilísticos empregados no texto:
“Nem tudo tinham os antigos, nem tudo temos, os modernos”. (Machado de Assis)
A)                   anáfora – antítese – silepse
B)                   metáfora – antítese – elipse
C)                   anástrofe (Inversão)– antítese – zeugma
D)                  pleonasmo – antítese – silepse
E)                   anástrofe – comparação – parábola

Exercício 9:
Nos versos abaixo, uma figura se ergue graças co conflito de duas visões antagônicas:
“Saio do hotel com quatro olhos,
- Dois do presente,
- Dois do passado.”
Esta figura de linguagem recebe o nome de:
A)                   metonímia
B)                   catacrese
C)                   hipérbole
D)                  antítese
E)                   hipérbato

Exercício 10:
Identifique a figura de linguagem empregada nos versos destacados:
“No tempo de meu Pai, sob estes galhos,
Como uma vela fúnebre de cera,
Chorei bilhões de vezes com a canseira
De inexorabilíssimos trabalhos!”
A)                   antítese
B)                   anacoluto
C)                   hipérbole
D)                  litotes (É uma figura de linguagem em que uma suavização é feita pela negação do contrário. Para que não se diga, por exemplo, que determinado indivíduo é burro, diz-se que é pouco inteligente)
E)                   paragoge (Figura linguística em que ocorre o acréscimo de letra ou sílaba no final de uma palavra (casa = casebre; cânon=cânone)

Exercício 11:
A figura de linguagem empregada nos versos em destaque é:
“Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável)
Talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
- Alô, iniludível!”
A)                   clímax
B)                   eufemismo
C)                   sínquise
D)                  catacrese
E)                   pleonasmo

Exercício 12:
Em cada um dos períodos abaixo ocorre uma silepse. Marque a alternativa que classifica corretamente cada uma delas.
“Está uma pessoa ouvindo missa, meia-hora o cansa e atormenta e faz romper em murmurações”.
“E todos assim nos distraímos nesses preparativos”. (Aníbal Machado)
“A multidão vai subindo, subiram, subiram mais”. (Murilo Mendes)
A)                   silepse de gênero, silepse de número, silepse de número.
B)                   silepse de pessoa, silepse de número, silepse de pessoa.
C)                   silepse de gênero, silepse de pessoa, silepse de pessoa.
D)                  silepse de gênero, silepse de pessoa, silepse de número.
E)                   silepse de número, silepse de pessoa, silepse de gênero.

BOA SORTE!


RESPOSTAS:
1.       E
2.       E
3.       A
4.       D
5.       B
6.       D
7.       C
8.       A
9.       D
10.   C
11.   B
12.   D


                                                                                

Eclesiastes 1:13

E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.