25 de mai de 2014

JUVENTUDE

                         Juventude, é hora de mudanças
Luiz Gustavo Moutinho Campos - Presidente da União Estudantil de Teófilo Otoni - MG                                         
2014... Copa do Mundo! Tempo em que o futebol tem o seu grande espaço. Todos vibram, torcem, festejam, vestem a bandeira brasileira e adoram o seu país como nunca... Este é o ano! Mas não se pode esquecer que é também ano de ELEIÇÃO. Em ano eleitoral, a política participa com mais força do nosso dia a dia, seja na mídia, nas escolas e universidades, nas rodas de amigos ou até mesmo em nossa casa.
Ultimamente, com tantos escândalos envolvendo os políticos no Brasil - corrupção, superfaturamento, desvios de recursos públicos e até dinheiro na meia - os brasileiros se encontram cada vez menos esperançosos com os políticos e com a política nacional. E os jovens, por sua vez, geralmente adotam a mesma postura, pois são reflexos de seus familiares, amigos, pais e professores. E, em consequência disso, temos um dos maiores e mais graves problemas do Brasil: a criação de jovens alienados politicamente.
Os jovens, em sua maioria, se tornaram analfabetos políticos, pois simplesmente ignoram a política, alegando que é “um saco”, que todos os candidatos são iguais e que nenhum deles presta. E, assim, anulam o seu voto, escolhem qualquer candidato e esperam as eleições passarem para que, somente daqui a dois anos, possa se falar em política novamente. Na verdade, eles se apegam à sua individualidade, tornando a ideia da vida pública pouco atraente, e não percebem que acabam afastando de si as probabilidades de um futuro social melhor. Não se pode tirar a sua razão, devido à decepção causada por alguns políticos brasileiros, mas a mudança só será possível se esse tipo de atitude do jovem mudar. Os ditos populares “é tudo a mesma coisa” ou “qualquer um serve” não devem ser lemas para um eleitor com responsabilidade. Primeiramente, não se deve generalizar as coisas: os políticos, o governo, as políticas, pois nem todos os políticos são desonestos e, como em todas as profissões, há muita gente séria e competente atuando nestes espaços e trazendo feitos importantes ao desenvolvimento do país. Depois, deve-se compreender que a pior forma de se fazer política é não querer saber dela. A inserção da juventude na política é de extrema importância para renovar quadros, trazer novas ideias e construir um novo caminho. Os jovens não podem ficar omissos, têm de acreditar na força como instrumento de transformação. Não podem ficar ausentes das discussões que envolvem o seu futuro.
O Brasil não precisa de revolucionários, mas de pessoas conscientes de seus direitos, deveres e de seu poder. É importante a participação consciente da juventude no processo eleitoral para eleger líderes nos quais confiem, visando combater a crise de valores que dominam a política nacional. A passividade dos jovens deve ser combatida a fim de que sejam mais participativos, fortaleçam a cidadania e valorizem as eleições, para que este momento se torne de verdade um “show de democracia”!
Num país de jovens politizados, o futuro é promissor e por isso devemos apoiar o debate e a participação em comum dos problemas que atingem o nosso município, estado e país, trazendo aos jovens finalidades que os capacitem para a autonomia, compromisso e responsabilidade consigo mesmos e com a sociedade em geral, partindo das suas expectativas, soluções e interesses. O jovem eleitor deve compreender que a política faz parte do seu dia a dia e é fundamental para a sobrevivência da sociedade, pois o Brasil clama por mudanças, e a juventude deve mostrar o seu interesse em plantar sementes de transformação. Portanto, fica a mensagem aos jovens: que neste ano possam “vestir” a bandeira do Brasil, ser cidadãos e patriotas não somente pela Copa do Mundo, mas também pelo momento de democracia e responsabilidade que a eleição propicia. Ao invés de procurarem isolamento no momento em que o assunto é política, tenham atitudes de participação. Sua intervenção fará a diferença!
Postado em 19 de Fevereiro, 2014.                                                            ACESSE:www.aulasdaminhavida.blogspot.com

Use o caderno para responder.
Estudo a partir do texto: “Juventude, é hora de mudanças”
1)      Justifique o emprego do título.
2)      Luiz aborda dois acontecimentos importantes para esse ano: A copa do mundo e as Eleições. No entanto, seu discurso é sobre o último. Quais seriam, segundo o autor, os principais motivos para a descrença da juventude na política e nos políticos?
3)      Complete: Essa descrença dos jovens nos políticos leva-os ....................................................................... .
4)      Vocabulário: Dê os significados contextualizados.


A)     mídia
B)      dinheiro na meia
C)      postura
D)     alienados
E)      analfabetos políticos
F)      probabilidades
G)     atuando
H)     feitos
I)        inserção
J)       omissos
K)      pessoas conscientes
L)       show de democracia
M)   vestir a bandeira do Brasil
N)     politizados


5)      Substitua as palavras sublinhadas no texto por outras sinônimas.

6)      Associe as palavras as suas classes gramaticais contextualizadas.


A)     vibram
B)      se
C)      eleições
D)     2010
E)      consciente
F)      o
G)     sua
H)     num
I)        show de democracia
J)       ultimamente
(   )pronome
(   )adjetivo
(   )numeral
(   )conjunção
(   )verbo
(   )substantivo
(   )artigo
(   )interjeição
(   )advérbio
(   )preposição



7)      Enumere as colunas, observando as regras de acentuação:


1)      país
2)      invés
3)      revolucionário
4)      político
5)      é
6)      aS
(   ) monossílabo átono
(   )monossílabo tônico
(   )proparoxítona
(   )paroxítona
(   )oxítona
(   )hiato





8)      Retire do texto exemplos do emprego da Linguagem Coloquial.

9)      Por que o futebol é uma cultura tão forte no Brasil? Redija em cinco linhas uma resposta coesa,  justificando sua opinião.


10)   Produza uma charge sobre futebol ou política. Use o lápis/grafite. 

Eclesiastes 1:13

E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.