28 de abr de 2014

Planos de aula INFOMÁTICA ROSA ELSA



    Planos de aula
INFOMÁTICA
ROSA ELSA
Escola:
ROSA ELSA
Semana:
5.ª ABRIL/14
Professor:        Elemar Gomes

PROF.ª
     FONTES/SITES
TURMA:
PERÍODO
TATIANA
3.ºANO
55MIN
ANGELA
ANEXO
2.ºANO
55MIN
MURYEL
ANEXO
5.ºANO
55MIN
VERA
MATERNAL II
30MIN
MARIÉLI
http://aprendizagemnasalainformatizada.blogspot.com.br/2011/04/1-de-maio-dia-do-trabalhador.html
4.º ANO
30MIN
ELIZANDRA
1.ºANO
55MIN
DEISE

.ºANO
55MIN
RENATA
4.ºANO
55MIN
LIANESE


27 de abr de 2014

ALUNOS DO THEÓFILO SAUER - 91, 92 E 93 - AULA DE PORTUGUÊS DOS DIA 28, 29 e 30 DE ABRIL DE 2014:

Coesão e Coerência textual


Para que um texto tenha o seu sentido completo, ou seja, transmita a
 mensagem pretendida, é necessário que esteja coerente e coeso. Para compreender um pouco melhor os conceitos de Coerência textual e de Coesão textual, e também para distingui-los, vejamos:Por Ana Paula de Araújo

O que é coesão textual?

Quando falamos de COESÃO textual, falamos a respeito dos mecanismos linguísticos que permitem uma sequência lógico-semântica entre as partes de um texto, sejam elas palavras, frases, parágrafos, etc. Entre os elementos que garantem a coesão de um texto, temos:
  1. as referências e as reiterações: Este tipo de coesão acontece quando um termo faz referência a outro dentro do texto, quando reitera algo que já foi dito antes ou quando uma palavra é substituída por outra que possui com ela alguma relação semântica. Alguns destes termos só podem ser compreendidos mediante estas relações com outros termos do texto, como é o caso da anáfora e da catáfora.
  2. as substituições lexicais (elementos que fazem a coesão lexical): este tipo de coesão acontece quando um termo é substituído por outro dentro do texto, estabelecendo com ele uma relação de sinonímia, antonímia, hiponímia ou hiperonímia, ou mesmo quando há a repetição da mesma unidade lexical (mesma palavra).
  3. os conectores (elementos que fazem a coesão interfrásica): Estes elementos coesivos estabelecem as relações de dependência e ligação entre os termos, ou seja, são conjunções, preposições e advérbios conectivos.
  4. a correlação dos verbos (coesão temporal e aspectual): consiste na correta utilização dos tempos verbais, ordenando assim os acontecimentos de uma forma lógica e linear, que irá permitir a compreensão da sequência dos mesmos.
São os elementos coesivos de um texto que permitem as articulações e ligações entre suas diferentes partes, bem como a sequenciação das ideias.

O que é coerência textual?

Quando falamos em COERÊNCIA textual, falamos acerca da significação do texto, e não mais dos elementos estruturais que o compõem. Um texto pode estar perfeitamente coeso, porém incoerente. É o caso do exemplo abaixo:
"As ruas estão molhadas porque não choveu"
Há elementos coesivos no texto acima, como a conjunção, a sequência lógica dos verbos, enfim, do ponto de vista da COESÃO, o texto não tem nenhum problema. Contudo, ao ler o que diz o texto, percebemos facilmente que há uma incoerência, pois se as ruas estão molhadas, é porque alguém molhou, ou a chuva, ou algum outro evento. Não ter chovido não é o motivo de as ruas estarem molhadas. O texto está incoerente.
Podemos entender melhor a coerência compreendendo os seus três princípios básicos:
  1. Princípio da Não Contradição: em um texto não se pode ter situações ou ideias que se contradizem entre si, ou seja, que quebram a lógica.
  2. Princípio da Não Tautologia: Tautologia é um vício de linguagem que consiste n a repetição de alguma ideia, utilizando palavras diferentes. Um texto coerente precisa transmitir alguma informação, mas quando hárepetição excessiva de palavras ou termos, o texto corre o risco de não conseguir transmitir a informação. Caso ele não construa uma informação ou mensagem completa, então ele será incoerente
  3. Princípio da Relevância: Fragmentos de textos que falam de assuntos diferentes, e que não se relacionam entre si, acabam tornando o texto incoerente, mesmo que suas partes contenham certa coerência individual. Sendo assim, a representação de ideias ou fatos não relacionados entre si, fere o princípio da relevância, e trazem incoerência ao texto.
Outros dois conceitos importantes para a construção da coerência textual são a CONTINUIDADE TEMÁTICA e a PROGRESSÃO SEMÂNTICA.
Há quebra de continuidade temática quando não se faz a correlação entre uma e outras partes do texto (quebrando também a coesão). A sensação é que se mudou o assunto (tema) sem avisar ao leitor.
Já a quebra da progressão semântica acontece quando não há a introdução de novas informações para dar sequência a um todo significativo (que é o texto). A sensação do leitor é que o texto é demasiadamente prolixo, e que não chega ao ponto que interessa, ao objetivo final da mensagem.
Em resumo, podemos dizer que a COESÃO trata da conexão harmoniosa entre as partes do texto, do parágrafo, da frase. Ela permite a ligação entre as palavras e frases, fazendo com que um dê sequência lógica ao outro. A COERÊNCIA, por sua vez, é a relação lógica entre as ideias, fazendo com que umas complementem as outras, não se contradigam e formem um todo significativo que é o texto.
Vale salientar também que há muito para se estudar sobre coerência e coesão textuais, e que cada um dos conceitos apresentados acima podem e devem ser melhor investigados para serem melhor compreendidos.
FONTES:
http://www.algosobre.com.br/redacao/coesao-e-coerencia.htmlhttp://www.ebah.com.br/content/ABAAABNz0AC/coesao-coerencia
http://www.mundovestibular.com.br/articles/2586/1/COESAO-E-COERENCIA-TEXTUAL/Paacutegina1.htmlhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Coer%C3%AAncia_e_coes%C3%A3ohttp://www.esa.esaportugues.com/programa/Lingua/coesao.htm

RECADINHO AOS ALUNOS DO THEÓFILO SAUER

SABE DE UMA COISA QUERIDO ALUNO(A);
É MUITO BOM TÊ-LO COMO ESTUDANTE DE VERDADE. VAMOS JUNTOS RUMAR PARA O SUCESSO, PARA A VITÓRIA, PARA A FORMATURA.
A VIDA DE ESTUDANTE NÃO É FÁCIL, MAS É SUPERANDO OS DESAFIOS QUE A VITÓRIA SE TORNA MAIS SABOROSA.
UM ABRAÇÃO DO PROFESSOR: ELEMAR GOMES

Planos de aula ROSA ELSA

    Planos de aula

ROSA ELSA
Escola:
ROSA ELSA
Semana:
5.ª ABRIL/14
Professor: Elemar Gomes
LEITURAS:
Ø  9.º ANO: “ANA TERRA” – ATÉ:15/05/2014 – 10,0 PONTOS (DEB. + QUEST.)
ANO: NONO
TURMA: 92
DISCIPLINA: PORTUGUÊS
CONTEÚDOS
PERÍODO
OBJETIVOS
Ø  CORREÇÃO DOS TEMAS DO FRAGMENTO: ANA TERRA – INTERPRETAÇÃO;
Ø  EXERCÍCIOS SOBRE CONJUNÇÕES :
1.       EXERCÍCIOS JÁ APLICADOS;
2.       EXERCÍCIOS PARA O INÍCIO DA AULA;
3.       EXERCÍCIOS PARA O FIM DO 1.º PERÍODO;
4.     TRABALHO SOBRE O TEMA.

4
- CARACTERIZAR OS TEXTOS DE ACORDO COM O GÉNERO AO QUAL PERTENCEM, IDENTIFICANDO O ASSUNTO, IDEIAS PRINCIPAIS E SECUNDÁRIAS, AS INTENÇÕES DO AUTOR, O PROVÁVEL DESTINATÁRIO E SUAS INFORMAÇÕES PRESSUPOSTAS OU SUBENTENDIDAS. - DESENVOLVER E VALORIZAR OS HÁBITOS DE LEITURA E APRECIAÇÃO CRÍTICA.
ANO: QUARTO
TURMA: 41
CURRÍCULO
CONTÚDOS
PERÍODO
OBJETIVOS

Ø FERIADO – 1.º DE MAIO – DIA DO TRABALHADOR
Ø ATIVIDADES DE PORTUGUÊS E DE MATEMÁTICA – PENSAR NO LÚDICO
4
ACRESCENTAR, AMPLIAR, ANALISAR,  BRINCAR, COMPREENDER, CONSTRUIR, COORDENAR, CRESCER, DESPERTAR, DIVERTIR, PRATICAR, PROBLEMATIZAR, SOCIALIZAR, USUFRUIR, ...

24 de abr de 2014

Conjunções

Conjunções
A palavra “conjunção” provém de “conjunto”. Vejamos a definição do último termo no dicionário Aurélio: Conjunto: adj. 1. Junto simultaneamente. sm. 2 Reunião das partes dum todo.
Já o sufixo -ção tem significado de “resultado de uma ação”. Logo, se associarmos as duas definições temos que: conjunção é a ação de juntar simultaneamente as partes de um todo.
Com essa primeira definição, vejamos essa frase composta por três verbos, ou seja, por três orações:

Os dias passam, as prestações chegam, a vida continua. http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcT5nZ5AiR79eWiJxNzNg8h5cHbqCIFihJ3e1TCuQfqq5J8ePm4v 

Vamos acrescentar na frase acima as palavras “e” e “mas”:

Os dias passam e as prestações chegam, mas a vida continua.

Notamos o seguinte: retiramos a vírgula e substituímos por palavras, e ao fazê-lo ligamos uma oração à outra, criamos um vínculo, uma união. A palavra e está ligando as orações 1 e 2 e a palavra mas está ligando as orações 2 e 3. Portanto, as palavras e e mas que unem as frases são exemplos de conjunção.
Agora, vejamos esse outro exemplo:

Amor e carinho são sentimentos que estão em falta no nosso dia-a-dia.

Observamos que as palavras amor, carinho têm a mesma função na frase, a de juntas exercerem papel de sujeito da oração. O e está ligando essas duas palavras equivalentes, ou seja, de mesma função na oração. A ação de unir simultaneamente as partes (amor, carinho) de um todo (sujeito) foi feita a partir da palavra e, a qual é, portanto, uma conjunção.

Podemos agora definir conjunção de uma segunda maneira, a usada pela maioria dos gramáticos, por ser definição do dicionário:

Conjunção é a palavra invariável que relaciona duas orações ou dois termos que exercem a mesma função sintática.
Conjunção coordenada e subordinada
As conjunções podem ser classificadas em coordenativas e subordinativas, o que dependerá da relação que estabelecem entre as orações.
Vejamos essas duas frases:
Maria caiu e torceu o tornozelo.
Gostaria que você fosse sincera.

No primeiro caso temos duas orações independentes, já que separadamente elas têm sentido completo: Maria caiu e Maria torceu o tornozelo. O período é composto por coordenação, pois as ações são sintaticamente completas em significado.
No segundo caso, uma oração depende sintaticamente da outra. O verbo “gostaria” fica sem sentido se não há complemento, o que causa o questionamento seguinte: “gostaria de quê?”. Assim, a oração “que você fosse sincera” é complemento e, portanto, subordinada à primeira oração “Gostaria”. A palavra que, então, é a conjunção subordinativa que une as duas orações.

Locução conjuntiva
Há ainda a locução conjuntiva, que acontece quando duas ou mais palavras exercem a função de conjunção. Alguns exemplos são: desde que, assim que, uma vez que, antes que, logo que, ainda que.
Vejamos um exemplo:

Ele irá te ajudar, desde que você faça a sua parte.

Temos duas orações: “Ele irá te ajudar” e “você faça a sua parte”, ligadas pela locução conjuntiva desde que.


Acesse o conteúdo no blog: www.aulasdaminhavida.blogspot.com

CONJUNÇÕES É A PALAVRA QUE LIGA ORAÇÕES OU PALAVRAS DE FUNÇÔES SEMELHANTES.

ESTUDANTE: ________________________________TURMA:_____________PROFESSOR: ELEMAR GOMES / PORTUGUÊS

CONJUNÇÕES
É A PALAVRA QUE LIGA ORAÇÕES OU PALAVRAS DE FUNÇÔES SEMELHANTES.


CONJUNÇÕES COORDENATIVAS



          CLASSIFICAÇÃO
               CONJUNÇÕES

                                 EXEMPLOS
ADITIVAS: ADIÇÃO, SOMA,                   ACRÉSCIMO.
E, NEM  ( ENÃO ), MAS AINDA, MAS TAMBÉM, COMO TAMBÉM.
O MÉDICO EXAMINOU E PRESCREVEU-LHE A DIETA.

ADVERSATIVAS: OPOSIÇÃO, CONTRASTE OU SENTIDO ADVERSO.
MAS, PORÉM, TODAVIA, CONTUDO, SENÃO, ENTRETANTO, NO ENTANTO, NÃO OBSTANTE.

MARIANA REVIROU TODAS AS GAVETAS, MAS NÃO ENCONTROU NADA.

ALTERNATIVAS: ALTERNÂNCIA OU EXCLUSÃO.


OU, OU...OU, ORA...ORA, JÁ...JÁ, QUER...QUER, SEJA...SEJA.

A CRIANÇA ORA AGITAVA-SE, ORA ADORMECIA FEBRIL.

CONCLUSIVAS: CONCLUSÃO.

LOGO, POIS ( VEM APÓS O VERBO ), PORTANTO, ASSIM, POR ISSO, POR CONSEGUINTE.
A CHUVA CAÍRA MANSA DURANTE  DIAS, ACABARA, POIS, A SECA.

EXPLICATIVAS:EXPLICAÇÃO

QUE ( PORQUE ), POIS, PORQUE, PORQUANTO.

NÃO USE DROGAS, QUE ( PORQUE ) ELAS PREJUDICAM A SAÚDE.


CONJUNÇOES SUBORDINATIVAS



CONDICIONAIS: CONDIÇÃO.


SE, CASO, CONTANTO, QUE, UMA VEZ QUE.


SE VOCÊ NÃO VIER, NÃO HAVERÁ ALMOÇO.

CAUSAIS: CAUSA.

PORQUE, QUE, POIS, PORQUANTO, JÁ QUE, VISTO QUE.

NÃO COMI O MAMÃO PORQUE ESTÁ VERDE.

COMPARATIVAS: COMPARAÇÃO.

COMO, ASSIM COMO, TAL QUAL

O LUTADOR É FORTE COMO UM TOURO.

CONFORMATIVAS: CONFORMIDADE.


SEGUNDO, CONFORME, CONSOANTE.

CIDA FEZ O TRABALHO CONFORME O PROFESSOR PEDIU.

CONCESSIVAS: CONCESSÃO.

EMBORA, AINDA QUE, MESMO QUE.
EMBORA TENHA POUCA AUDIÊNCIA, O PROGRAMA CONTINUA NO AR.

INTEGRANTES: INTEGRAM


QUE, SE

CONVÉM QUE VOCÊ TREINE MAIS.

FINAIS: FINALIDADE, OBJETIVO.


PARA QUE, AFIM DE QUE.

POUPE DINHEIRO AGORA PARA QUE TENHA ALGUM MAIS TARDE.

CONSECUTIVAS: CONSEQÜÊNCIA.


TÃO...QUE, DE TAL MODO QUE.

A MESA ESTÁ TÃO BEM FEITA QUE NÃO BALANÇA.


PROPORCIONAIS: PROPORCIONALIDADE.


À PROPORÇÃO QUE, NA MEDIDA EM QUE.

O PALESTRANTE SE IMFLAMAVA NA MEDIDA EM QUE IA FALANDO.

TEMPORAIS: NOÇÃO DE TEMPO.


QUANDO, ENQUANTO, LOGO QUE, DEPOIS QUE.

QUANDO VOLTAR DE VIAGEM, IREI VÊ-LA.

Acesse esse conteúdo no blog: www.aulasdaminhavida.blogspot.com

Eclesiastes 1:13

E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar.